segunda-feira, 30 de maio de 2011

Lacuna

Nessa emoção eu vago,
nado,
mergulho,
me afogo.
E acordo.
É tudo vago,
e divago...
Para longe de mim,
Para longe de ti.
Para longe de tudo.
Para bem perto do céu azul-anil onde sonho.
E vago...
Nesses espaços vagos
que estão entre mim e o mundo.