quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Querência

Queria ver-te, amor.
Ver-te para conversar,
observar seus olhinhos castanhos
pousarem como um íma sobre mim.
Juntos somos sempre mais que dois.
Não sobramos um no outro.
Somos exatos, enfim.
Queria ver-te, meu amor...
Viver, cantar, amar e fim.

2 comentários:

Tainá Holanda disse...

acho que carência é quando já não estamos juntos. ou quando não somos mais exatos.

Suzi C. Lima disse...

é um poema curto e bonito, no final das contas.

Amor, sempre o mesmo tema. O tema mais bonito.

estou seguindo o teu blog
beijos