sábado, 8 de maio de 2010

Instante.

E eu olhei pra ele.

-Será que chove agora? - Ele disse.


"Ah, queria dizer que te amo, afogar-me em seus olhos. Chorar tua ausência,
matar minha fome. Queria abrigar-me em teus braços, ganhar teus sinceros beijos,
trazer de volta meu sonho, expressar meus desejos.
Saiba que te amo. Simplesmente. Sem orgulho. Sem expectativas. De mente aberta,
alma limpa.
Quero dizer que tenho medo de dizer adeus, um pavor amargo de que não volte.Não quero perder esses momentos poucos de sua presença, não quero vagar tão sozinha.
Direi! Minha boca ensaia. Abre-se um pouco. O medo me visita.
Eu direi! Direi que quero chamar-te meu.
Quero que me chames "minha".
Direi!
Esse é o momento!
Direi: Me abraçe! Me siga! Me ame!
É esse o momento. Direi! Direi! Direi!"


-Espero que não essa noite. Faz muito frio e não tenho como me aquecer...


E ele foi embora. No colo silencioso das minhas reticências.


"...foi só por um segundo, todo o tempo do mundo. E o mundo todo se perdeu..."(Maria Rita)

4 comentários:

Tainá disse...

Sem palavras... é assim que ficamos. Antes, depois.

Yasmin Lara disse...

Exatamente, Tainá.

Sem palavras.
Vontade de dizer tudo que não cabe na gente. Vontade de vazar palavras.
Mas elas não saem.
O medo nos visita.


Abraços

deh ramos disse...

ah.. acho que é assim que me sinto.. duas ou três frases frias, cheias de intençoes que n ousam a sair dos lábios..

Yasmin Lara disse...

Sempre algo pra dizer.
Nunca a coragem vem visitar.

E ficamos assim...reticentes.