segunda-feira, 11 de maio de 2009

Avisão...

Amo o que não vejo,
por perder-me nos cantos da imaginação.
E nessa divagação, passo a tecer sonhos,
a tecer mil palavras.
E falo baixo.
Me elevo tão alto!
Amo, sem precisar ver,
pois aprendi com a vida,
a devorar saborosamente o que sinto,
a tocar o que lembro,
a adorar o que crio,
a dormir no que sonho.

(28/03/2009 - 10/04/2009)



Esse poema mereceu ser postado, apenas por ser incrivelmente curioso. Ontem, estava eu, lendo meus antigos esboços, tudo numa rabiscação só. Eis, que no meio de tanta parafernalha encontro algumas linhas dele, inacabadas. Mudo uma palavra ali, outra aqui, e ele ganha um novo significado, bem na minha frente. Ganha também um novo nome, um tanto quanto alternativo...(é Avisão mesmo, juntinho...) E aí está ele, postado, inteiro. Isso explica as duas datas de criação.

Imagem: http://br.olhares.com/um_mundo_d_imaginacao_foto1693688.html
Artista: Raquel Hipólito
Poema : Yasmin Lara

2 comentários:

Varnion, o lobo solitário disse...

Muito bonito e bem escrito.

Você escreve como uma verdadeira poetisa. Parabéns.

Luiza de fato! disse...

Ah
Já disse como acho linda q forma que você escreve!
Muito bonito; me identifiquei.
=*