domingo, 26 de abril de 2009

Poesia

Amo as palavras,
as linhas sapecas e cheias de significado
que eu teimo e tecer no papel.
Amo cada uma delas.
E seus termos,
seus lugares comuns tão ermos!
Tão complicados, tão perigosos,
simples, tão saborosos!
Lindos, completos em si mesmo.
Sempre amando...
Amo a sensação dos meus dedos na caneta,
desenhando formas, criando vidas.
Expandindo-as...infinitamente.
Amo poetizar,
neologizar,
viver!
Amo a vida, seus tons, suas cores.
E poetizo tudo, invento um todo,
ritmizando o tempo, passando-o mais devagar,
para conseguir por mais dias
a magia de com a tinta e o papel inventar.

(26/03/2009)

O primeiro poema de minha autoria que eu posto no blog. Escrever poesias é uma antiga mania minha,para me aliviar dos momentos de tédio, tristeza e tensão. Mas como sou poetiza de gaveta, é beeem raro alguém ter acesso a essas minhas linhas malucas, que além de mostrarem minhas idéias, muitas vezes contam nas suas entrelinhas, os meus segredos inconfessáveis.




Fotografia: site www.olhares.com

3 comentários:

Vitor Santana disse...

good, very good

Varnion, o lobo solitário disse...

Muito bem escrito. Brincas muito bem com as palavras.

Uno basso.

Luiza disse...

Adorei seu jeito de encaixar as palavras nas linhas, versos, estrofes.
Compatilho dessa mania de escrever pra aliviar o coração e enxer as gavetas.

Adorei seu blog*